Abstêmios morrem mais cedo

As bebidas alcoólicas em doses (bem) moderadas podem trazer benefícios ao organismo e até tem efeitos terapêuticos.

O álcool pode fazer bem para a circulação, melhorando o trabalho do coração e evitando a arteriosclerose. E não é apenas o vinho, como muitos pensam, mas qualquer bebida alcoólica. A chave, no entanto, está no consumo moderado e é muito complicado estabelecer o que é um consumo moderado na cabeça das pessoas. O consumo é considerado “moderado” quando o homem não passa de 14 doses na semana e a mulher de sete, sem jamais ultrapassar quatro doses de uma vez para eles, e três para elas. O ideal é uma dose por dia para as mulheres e duas para os homens.

O problema é que os brasileiros não sabem beber moderadamente e qualquer benefício do álcool é imediatamente eliminado assim que a pessoa deixa a moderação de lado. O álcool é a principal causa de incapacitação por doença entre os brasileiros. A grande maioria das quedas, acidentes, problemas de saúde que chegam a um hospital têm algum relação com o consumo de bebida alcoólica, afirma a neurologista e psiquiatra Florence Kerr-Corrêa, da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Uma pesquisa feita por professores da Universidade do Texas acompanharam a vida de 2 mil pessoas durante alguns anos. E o que descobriram foi que quem bebia de um a três drinks pequenos por dia, corria menos risco de morrer prematuramente. Em comparação a eles, a probabilidade de um abstêmio morrer de qualquer doença era 51% maior – e eles perdiam até para os beberrões mais pesados, cujos riscos eram de apenas 45%.

Mas vale lembrar e reforçar: é importante consumir com moderação. Não dá para encher a cara todos os dias e esperar que a vida seja longa e saudável.

 

Saúde! E aprecie com moderação.

 

Cachaça Sombra do Ipê e Córrego do Ouro